Inscrições onlineRenovações online Contactos Ala AirSoft
 ALA
 Airsoft
 Documentação
 Associados
 Regulamentos
 Serviços FPA





Reacção à PL222/X 
"Desde Quarta-feira que os variados elementos constituintes dos órgãos sociais da FPA e colaboradores externos convidados para o efeito, têm trabalhado árduamente na preparação de uma resposta."
Colocado em 20/Sep/2008, 12:52
A direcção da FPA vem por este meio, e antes de mais, pedir desculpas aos seus associados por não se ter pronunciado de forma mais atempada. A razão prende-se com a própria alocação de recursos directamente na reacção à publicação da própria proposta de lei.

A PL222/X vem deitar um véu negro sobre o Airsoft e a forma como o vemos hoje. Se a lei 05/2006 levantou barreiras à prática da modalidade (pela obrigatoridade da pintura, necessidade de estar federado, mínimo de idade para prática e limites de potências) a PL222/X vem levantar verdadeiras muralhas quase intransponíveis.

Nada do que está proposto resultou da reunião com os representantes do Ministro da Administração Interna e com os responsáveis pelo Departamento de Armas e Explosivos da PSP. A posição da FPA foi sempre e será contra estas medidas que não só afectam a própria prática como constituem um atentado à segurança pública, ao incumprimento da lei e à impugnação do comércio nacional.

Assim, e dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido na prevenção desta situação, desde Quarta-feira que os variados elementos constituintes dos órgãos sociais da FPA e colaboradores externos convidados para o efeito, têm trabalhado árduamente na preparação de uma resposta. Estes trabalhos incluem o estreitar de relações e unificação de pontos de vista entre praticamente todas as lojas nacionais, associações vinculadas e federação congénere. Isto com o intuito da posição ser una e o mais forte e representativa possível.

Os pontos de contestação da FPA são os seguintes seis:
- Pintura Fluorescente obrigatória a 50%
- Reconhecimento das APDs pelo IDP e pela PSP
- Homologação dos Modelos de Armas pela PSP
- Limite de Potência a 1.3J
- Limitação do Uso de Miras Telescópicas
- Proibição de Venda por via Electrónica

Todos os pontos estão a ser defendidos num documento que será tornado público aquando a sua finalização. Tal documento, munido de vários anexos de contextualização e complemento, será utilizado para o contacto com os grupos parlamentares assim como para um pedido de urgência de audiência com as comissões parlamentares.

Igualmente, e em consórcio com a Federação Desportiva de Softair APD, será lançada uma iniciativa de abaixo-assinado já nesta Segunda-feira.

Assim, pedimos tranquilidade a todos os praticantes de Airsoft, pelo que está a ser feito tudo o que é possível para que não sejam dados mais passos atrás nesta luta que tão árduamente tem vindo a ser travada. Aguardem novas instruções e informações já esta Segunda-feira.




_________________________________________
voltar | início

Associação Lusitana de Airsoft 2005-2013
A Associação Lusitana de Airsoft é uma Associação de Promoção Desportiva cuja publicação consta no Nº65 da III Série do D.R., a 4/04/2005, sob a denominação de Federação Portuguesa de Airsoft.
Última rectificação estatutária a 12/08/2011.
A reprodução parcial ou integral desta página web sem o consentimento da Associação Lusitana de Airsoft, assim como a utilização do nome e logótipo oficial, está expressamente proíbida.